Mulheres empreendedoras aprendem sobre gestão em tempos de crise

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Mais de 120 mulheres, empreendedoras, das instituições estatais e políticas, aprenderam sobre gestão e administração estratégica em tempos de crise, assente sobre a experiência de Israel.

O seminário decorreu na Casa Cultural Njinga Mbande, localizado no bairro Congolense, distrito do Rangel, sob a égide da Associação dos Gestores e Administradores de Angola, AGAA, e a empresa Focus Education, subsidiária do grupo Mitrelli.

Durante o evento que terminou sendo um encontro motivacional, o formador Gadi Lipiner, consultor económico da empresa Focus Education, instou àquelas mulheres a pensarem fora da caixa em momentos que a vida, quer profissional, pessoal e conjugal exigir soluções mais emergentes.

“Uma das qualidades mais importante para empreender é a criatividade. As coisas novas estão fora da nossa zona de conforto”, disse o formador.

Gadi Lipiner reconheceu que o trabalho da mulher, enquanto zeladora dos rebentos e outras obrigações doméstica é sempre o mais difícil. Todavia, fez saber que toda mulher pode ser empreendedora.

“E se toda mulher entrar para o empreendedorismo, o que vai acontecer é uma revolução no mundo. Isso traria para a economia mundial, trilhões e trilhões de dólares”, defendeu.

Para ajudar as senhoras a quebrar rotina nos seus trabalhos, o especialista da Focus Education partilhou quatro pontos que os considerou terem impacto tanto na vida empresarial, familiar, nomeadamente a Curiosidade, a Criatividade, o Desafiar a si mesmo e a Verificação de várias possibilidades.

“ Ser curioso é uma qualidade do ser humano e passa por querer aprender novas coisas. A criatividade é o poder de conectar os aparentemente desconectados. Isto significa ligar duas coisas em uma só. O homem que fez o telefone com a câmara, antes viu um telefone e uma máquina fotográfica e pensou unir as duas coisas em uma”, contou.

Disse que desafiar a si mesmo é assumir riscos desde que não coloque a vida em perigo.

“Verificar várias possibilidades passa por buscarmos vários instrumentos para respondermos a um desafio da vida. Para uma mudança acontecer, deve ser feita num espaço de 40 dias sucessivos”, precisou.

No final do encontro, as mulheres, que ainda respiravam o ar do seu mês, “Março Mulher” reagiram ao JovemMulher, aliás, minutos antes do encerramento da actividade, a Associação dos Gestores e Administradores de Angola, uma organização que vai ser proclamada, amanhã, dia 24, ofereceu flores, para a emoção daquelas mulheres.

Albertina Quinteira, empreendedora na área de Gestão de Recursos Humanos, disse que conseguiu captar a experiência de outras mulheres que durante o seminário partilharam as suas histórias de vida.

“Fomos chamadas a sermos criativas quando pretendemos abrir o nosso negócio, porque há aqueles momentos que não temos dinheiro e basta a criatividade para encontrarmos. Uma coisa que me vai ajudar muito é justamente o desafio de pensarmos fora da caixa.

Para Teresa Van-Dunem , funcionária pública, foram discutidos pontos que reflectiram a actual situação do país.

“E nos apercebemos que nós os angolanos arriscamos pouco. Por vezes estamos numa empresa, onde somos infelizes, mas mesmo tendo algum dinheiro, receamos arriscar e criar o nosso próprio negócio”, rematou.

 

(Visited 8 times, 1 visits today)

Profile photo of Natália Timóteo Damião

Mãe, esposa, estudante de Informação, jovem mulher, cristã e agora também blogueira! Nasci emancipada, pois é uma questão de ser que apenas depende de cada mulher.

Deixe o seu comentário!